Início O que é? Dúvidas Acompanhamento Depoimentos Contato
Doutor Gustavo Carvalho - Médico, Mestre e Doutor em Cirurgia
 Acompanhamento  

Vômitos e dores abdominais

Vômitos e dores abdominais são freqüentes na maioria dos portadores de balão gástrico na fase de adaptação ao mesmo (primeira semana). Após esta fase ocasionalmente os pacientes podem vomitar ou sentir dores após a ingestão de alimentos. Isto pode ser causado por um mau comportamento alimentar, ou pelo deslocamento do balão gástrico. O vômito regular após a fase de adaptação é, definitivamente, um sinal de alerta. Nestes casos o balão gástrico poderá ter que ser retirado.

Gravidez

O período de estabilização do peso é considerado um período de inanição. Não é recomendável ficar grávida durante o uso do balão gástrico, apesar do feto ter prioridade sobre a mãe no que diz respeito à comida, se você ficar grávida, é recomendável retirar o balão. Depois que o seu peso tenha se estabilizado, e o balão retirado, a gravidez não será mais uma contra-indicação.

Constipação

Muitos pacientes sentem constipação após colocação do balão. Isto ocorre principalmente devido ao fato de que a redução da ingestão de alimentos gera menos fezes e, consequentemente, menor movimentação dos intestinos. Se os laxantes se tornarem necessários, é recomendável evitar os assim chamados “agentes de volume”, e usar laxantes líquidos, tais como lactulose.

Consultas com o Médico  

Após os seis meses do procedimento, você deverá realizar exames completos de saúde, como um paciente não hospitalizado. Você deverá visitar o seu médico semanalmente no primeiro mês e mensalmente nos cinco meses subseqüentes.

Atividade Física

Será importante alterar não apenas os hábitos alimentares mas também, o seu nível de atividade física. Geralmente é recomendado que os pacientes comecem a se exercitar com caminhadas diárias. À medida que é obtida perda de peso, as atividades físicas se tornarão gradualmente mais fáceis.

Cirurgias para Obesidade Mórbida

Existem cirurgias para obesidade mórbida, usadas principalmente em locais onde o balão gástrico não está disponível, tal como nos Estados Unidos, onde os cirurgiões bariátricos operam usando métodos bem mais invasivos que a simples colocação de um balão gástrico, com riscos maiores e taxas de complicação e óbito bem mais elevadas.

Cirurgias de emergência

Uma cirurgia de emergência pode ser necessária para tratamento de alguma complicação prevista ou não prevista, decorrente ou não do uso do balão durante o período de utilização do mesmo. Ocorrendo esta necessidade o médico responsável pelo seu balão deverá ser imediatamente comunicado.